Saltar para o conteúdo principal Mapa do Site Ajuda de navegação e acessibilidade Web

Los Mil Ojos del Asesino- Cinema Projecto

29 - 29 Outubro 2020

Detalhes

Filme

Auditório

29 de Outubro –  21h

Preços 4€ | 3,5€ menores de 25 e maiores de 65

Partilhar nas redes sociais

Sobre o evento

imagem de divulgação do filme Los mil ojos

No Mês da Arquitectura o “Cinema Projecto” convida a ver cinema pela perspectiva da arquitectura.

Dia 29 de Outubro, 5ª feira passamos o filme LOS MIL OJOS DEL ASESINO – Juan Bosch | Produtor: Estela Films y Tritone Cinematográfica (1973) 01:23:00

Escolhido pelo Arquitecto João Paulo Martins, esta produção hispano-italiana surge quando a vaga dos western-spaghetti, que alimentaram uma indústria cinematográfica em Espanha (ou western-paella), já recuava, para dar lugar aos sucedâneos do género de Hollywood que pareciam agradar ao público. O policial foi uma dessas alternativas.

Neste policial Lisboa serve de cenário para uma seleção de polícias do mundo ocidental se envolver num esquema de tráfico de droga com foco no Brasil.

Para quem está atento à história de Lisboa, às transformações da sua paisagem urbana, da sua arquitectura, este filme lançado em 1973, a uns meses da revolução de abril de 1974, pode ser visto como um saboroso retrato daquela época.

Muito para além da narrativa, muito para além do objecto cinematográfico, é um documento visual, o registo de um tempo, filtrado pelos olhos dos nossos vizinhos e destinado aos mercados internacionais.

É um convite a descobrir uma Lisboa cosmopolita, apesar do conservadorismo das instituições e dos personagens locais. Onde os velhos eléctricos da Carris convivem com uma obra de engenharia moderna e monumental (a ponte sobre o Tejo , a lembrar São Francisco. Mas aqui há vestígios do passado medieval (no Castelo de São Jorge , mais uma longa avenida retilínea, envolvida por árvores, (como Paris) e, ao mesmo tempo, uma cidade densa, ziguezagueante, de vielas e escadinhas, de colinas e vales; e há ruas comerciais movimentadas, repletas de letreiros néon e uma bas-fond, suspeita e decadente, horizonte aberto e luminoso do Tejo, com as suas docas, industriais e sujas; as pensões manhosas e as mansões do jet set (que de resto não terão sido filmadas cá).

Lisboa entre o velho e o novo mundo, para o bem e para o mal.

CINEMA PROJECTO

Auditório do Padrão dos Descobrimentos

Saiba mais sobre o Arquitecto João Paulo Martins